Trilhas e Cachoeiras

Além das belíssimas praias, Ilhabela oferece diversas trilhas e cachoeiras de tirar o fôlego! Algumas são simples ou auto-guiadas, já outras exigem a presença de um guia local.

Praias, trilhas e cachoeiras

Vamos mostrar aqui 10 trilhas e cachoeiras que você deveria conhecer! Mas lembre-se: jamais se aventure numa trilha desconhecida sem o apoio de um guia.

 

1. Cachoeira do Ribeirão / Paquetá

Cachoeira do PaquetáBem perto do Mareilha, a apenas 15 minutos de caminhada a partir da pousada, fica a cachoeira do Ribeirão, também conhecida como cachoeira do Bexiga. O riacho de águas cristalinas com piscinas naturais, pequenas quedas e corredeiras parece ideal para um fim de praia nos dias de maior calor.

Seguindo na trilha rio acima você chega na Cachoeira do Paquetá (foto), que forma em sua base uma piscina natural simplesmente incrível. Ainda é possível subir até o alto da cachoeira por uma trilha lateral que acompanha as mangueiras de captação de água. Recomenda-se cautela neste trecho, pois o terreno é úmido e pode estar escorregadio.

No alto da cachoeira o rio forma mais um poço, este bem próximo da queda e que forma assim uma piscina natural com borda infinita (veja mais fotos no final da página). O visual é incrível e, neste ponto, você percebe que seu esforço foi recompensado!

Tempo de percurso: 15 minutos (cachoeira do Ribeirão) + 15 minutos (Cachoeira do Paquetá) + 10 minutos (topo da cachoeira)
Extensão: 600 metros (cachoeira do Ribeirão) + 400 metros (Cachoeira do Paquetá) + 100 metros (topo da cachoeira)
Nível: fácil / médio / médio


 

2. Cachoeira do Veloso

Cachoeira do VelosoTambém próximo ao Mareilha fica a cachoeira do Veloso, uma das mais lindas de Ilhabela. Com sua queda de mais 80 metros, impressiona ainda mais quando vista de longe, pois assim é possível admirar toda a sua altura.

São 15 minutos até chegar no início da trilha, e mais 40 minutos de uma caminhada muito agradável, numa trilha fácil e com desnível moderado. Na volta é possível admirar uma linda vista para o mar.

Para os mais aventureiros a trilha continua, agora com maior nível de dificuldade, levando a mais duas quedas d’água. Neste trecho recomendamos o apoio de um guia qualificado, pois a trilha se torna íngreme e escorregadia.

Tempo de percurso: 40 minutos (ida)
Extensão: 1.100 metros
Nível: fácil


 

3. Cachoeira dos Três Tombos

Cachoeira dos Três Tombos

Localiza-se no bairro da Feiticeira, a cerca de dois quilômetros do Mareilha. Fica no interior de um loteamento onde é possível entrar de carro até o início da trilha, que tem no total apenas 360 metros de extensão.

Por ser curta e bastante tranquila, é ideal para quem quer caminhar pouco, tomar um banho rápido e voltar com a experiência de ter caminhado em meio à Mata Atlântica preservada.

A primeira das três quedas, indicada para famílias e crianças, tem pouca altura de queda vertical e um pequeno poço onde é possível se banhar; a segunda queda tem pouco espaço, piso íngreme e escorregadio, requerindo mais atenção; e a terceira, onde os mais corajosos se aventuram sob o feixe de água que despenca de cerca de 20 metros de altura.

Também conhecida como Pancada D’água, é o conjunto de cachoeiras com a trilha mais curta e acessível aberta à visitação.

Tempo de percurso: 10 minutos (até a última queda)
Extensão: 360 metros
Nível: fácil


 

4. Cachoeiras do Parque Estadual

Poço da DuchaTambém conhecida como Trilha da Água Branca, é um passeio ideal para famílias com crianças, por seu fácil acesso e estrutura de apoio: sanitários, duchas, estacionamento, área de descanso e posto de informações.

O passeio começa na guarita do Parque Estadual, na estrada para Castelhanos (mas não é necessário carro com tração 4×4 neste trecho). A trilha é sinalizada, possui desnível moderado e um percurso total de 3.692 metros – cerca de duas horas para visitar todos os atrativos.

Sua dificuldade varia conforme o que se visita: é fácil para os primeiros poços e média para o passeio completo. O destaque são os poços formados pelas águas claras do Córrego da Água Branca: Poço da Pedra, a 156 metros da guarita; Poço da Escada, a 529 metros; Poço da Ducha, a 693 metros; Poço do Jequitibá, a 1.340 metros; e Poço do Jabuti, a 1.538 metros – estes dois últimos os menos visitados.

Tempo de percurso: 10 minutos (primeiros poços) a 120 minutos (todas as cachoeiras)
Extensão: 3.692 metros (total)
Nível: fácil a médio


 

5. Parque das Cachoeiras

Cachoeira da Água BrancaFormada por duas grandes quedas com cerca de 55 e 62 metros, a Cachoeira da Água Branca é a principal atração do Parque Municipal das Cachoeiras. Podendo ser vista desde a balsa ou mesmo do continente em certos períodos, também é conhecida como Cachoeira da Usina – já que ali, a partir de 1958, funcionou uma pequena hidrelétrica da CESP, desativada totalmente por volta de 1993.

Com águas fortes e piso escorregadio, esta cachoeira é fechada para banho, mas o parque oferece uma tranquila trilha que passa por bons poços para banho e permite a visita ao viveiro municipal.

Atualmente o prédio da antiga usina abriga o Museu Náutico de Ilhabela, que além de abordar aspectos históricos da ilha, traz diversos elementos sobre os naufrágios, inclusive algumas peças originais.

Tempo de percurso: 10 minutos (início da trilha)
Extensão: 200 metros
Nível: fácil


 

6. Cachoeira do Gato

Cachoeira do GatoA cachoeira do Gato é a maior de Ilhabela, com cerca de 80 metros de altura. A água escorre de um paredão rochoso quase vertical, e numa segunda queda, com cerca de 15 metros, cai reta sobre um grande poço.

Para chegar à cachoeira há uma trilha que sai da ponta esquerda da praia de Castelhanos, e leva aproximadamente 40 minutos para ser percorrida. É uma trilha de nível médio, bem sinalizada e com degraus, corrimões, bancos para descanso e uma ponte pênsil que faz a alegria das crianças e aventureiros (veja mais fotos no final da página).

O local é grandioso, sem paralelo em todo o litoral de São Paulo. A cachoeira é tão grande que, mesmo estando no meio da mata fechada, pode ser vista do mar pelos barcos que passam na baía de Castelhanos.

A força da água que desce do alto do paredão rochoso é enorme. Um banho debaixo dessa gigantesca ducha é uma experiência inesquecível. Abaixo da queda principal há pelo menos outras cinco pequenas quedas, com poços de águas cristalinas, excelentes para um mergulho. Para fazer este passeio recomenda-se a presença de um guia, e muita atenção nas rochas, pois são bastante escorregadias.

Tempo de percurso: 40 minutos (ida)
Extensão: 1.800 metros
Nível: médio


 

7. Cachoeira da Laje

Cachoeira da Laje“Um dos melhores pontos para banho de cachoeira da ilha”, esta é a definição perfeita para a Cachoeira da Laje. Com sua paisagem cinematográfica, o curso de águas cristalinas desce a montanha formando maravilhosas quedas, refrescantes piscinas naturais e divertidos tobogãs.

O acesso se dá a partir do bairro da Sepituba, no sul da ilha, local mais próximo onde é possível chegar de carro. De lá se chega à cachoeira caminhando por cerca quarenta minutos numa trilha bastante ampla em meio à mata, onde pode-se observar pássaros e, não raro, algum animal terrestre típico da fauna local.

É uma trilha autoguiada, mas por ser relativamente extensa e com subidas íngremes, recebe a classificação de média dificuldade.

Tempo de percurso: 80 minutos (ida)
Extensão: 2.600 metros
Nível: médio


 

8. Pico do Baepi

Pico do BaepiO Baepi, com 1.048 metros de altitude, é a montanha mais famosa e visitada de Ilhabela, com sua imponente face rochosa visível desde o continente. A caminhada até o pico é uma aventura que encanta os ecoturistas que a praticam.

Antes do primeiro quilômetro a trilha possui um belo mirante com vista panorâmica para o Canal de São Sebastião. É uma opção de nível médio para quem não quer subir até o pico.

A trilha até o pico exige preparo físico dos visitantes, pois o trecho final se mostra mais íngrime e com trechos de “escalaminhada”. É preciso vencer obstáculos como bambuzais e subidas mais íngremes com o apoio de escadas.

Deve-se fazer o percurso com o apoio de um guia experiente, tomando os devidos cuidados com os horários, equipamentos e alimentação. Levar água é fundamental, pois não há cursos d’água pelo caminho. Não se deve percorrer a trilha em dias chuvosos, pois ela se torna bastante escorregadia.

Uma vez no pico, a rocha oferece uma excelente visão panorâmica de todo o canal e dos municípios vizinhos. Leve uma boa máquina fotográfica ou celular com bateria no máximo.

Tempo de percurso: 03 horas (subida)
Extensão: 3.500 metros (ida)
Nível: médio/difícil


 

9. Trilha do Bonete

Praia do BoneteVisitar a Praia do Bonete é uma experiência única. Além de sua beleza natural, nela se encontra a maior comunidade caiçara de Ilhabela, que mantém seu modo de vida e suas tradições. Sem luz elétrica, carros ou celulares, e com acesso apenas por trilha ou mar, este local se revela um paraíso em terra.

Localizada no extremo sul da Ilha, a trilha do Bonete atravessa uma das áreas de Mata Atlântica mais preservada do Parque Estadual de Ilhabela. Passa por belos rios (inclusive a Cachoeira da Laje) que oferecem bons banhos em piscinas naturais e quedas d´água. A trilha é utilizada pela comunidade tradicional do Bonete, já que, além do mar, é o único acesso à zona urbana da ilha. A praia de areias claras e boas ondas é ideal para quem busca tranquilidade, contato com a natureza e com a cultura local.

A trilha exige bom preparo físico e planejamento. Não se deve percorrê-la em períodos chuvosos, pois os rios enchem e impedem a travessia, podendo impedir o avanço e o retorno de quem quem estiver transitando entre eles. Também é preciso ter cuidado com os horários e não começar a caminhar muito tarde, pois devido à dificuldade técnica a caminhada pode se estender por mais tempo do que o previsto. Recomenda-se o apoio de um guia ou, pelo menos, fazer a trilha junto com alguém que já tenha feito antes.

Tempo de percurso: entre 04 a 06 horas (ida)
Extensão: 12 quilômetros a partir da Ponta da Sepituba (estacionamento)
Nível: difícil


 

10. Pico de São Sebastião

Pico de São SebastiãoO Pico de São Sebastião é o mais alto de Ilhabela, com altitude de 1375 metros e uma trilha íngreme com mais de cinco quilômetros de extensão. Por seu elevado grau de dificuldade, não é normalmente listado pelos receptivos de turismo como uma das trilhas a ser feita.

Este trekking deve ser feito somente por pessoas preparadas e que já tenham experiência em trilhas. Além da alimentação, vestuário e equipamento adequados, deve-se ter um bom planejamento para a subida e descida, inclusive prevendo a possibilidade de ter que passar a noite na trilha. Muitos já sobem com a intenção de pernoitar no pico e retornar no dia seguinte.

A trilha tem início no bairro da Feiticeira, sendo a mesma que leva à Cachoeira dos Três Tombos. Aos poucos torna-se íngreme e fechada, obrigando os participantes a se arrastarem por sob a vegetação, em alguns trechos. Também há diversas bifurcações que podem confundir o viajante, principalmente nos pontos em que a mata fecha e a trilha praticamente desaparece. Nestes trechos, quem não conhece a trilha pode perder muito tempo tentando encontrar o caminho correto, o que atrasará a subida.

Experiência em trilhas e controle psicológico são fundamentais. A sensação de desconforto pela transpiração, somada ao cansaço da subida e mais a frustração por pegar alguma bifurcação errada, eleva o nervosismo do caminhante criando uma situação de estresse que pode comprometer a aventura. Por isso é preciso um bom planejamento, com bastante folga nos horários de subida e descida, para que ninguém se sinta pressionado durante a jornada.

Obviamente, não se deve fazer esta trilha sem a presença de pelo menos um guia experiente.

Tempo de percurso: entre seis e oito horas (subida)
Extensão: 5.600 metros
Nível: muito difícil


Imagens